Blog
Aromoterapia
12.06.18
Pesquisa (Fonte: www.viverdearomas.com.br)

Aromoterapia

AROMATERAPIA

VOCÊ CONSEGUE IMAGINAR UMA MANEIRA DE TRATAR SUAS EMOÇÕES, SUA SAÚDE FÍSICA E ATINGIR UM NOVO PATAMAR DE QUALIDADE DE VIDA? E O MELHOR: DE FORMA 100% NATURAL E CIENTIFICAMENTE COMPROVADA?

Essa é a grande promessa da Aromaterapia, uma ciência e arte milenar baseada na fitoterapia. Utilizando dos óleos essenciais extraídos de plantas aromáticas, a aromaterapia é utilizada com fins medicinais e estéticos desde o antigo Egito.

Pode ser através de óleos vegetais, difusor de aromas, velas aromáticas, cosméticos naturais ou através da ingestão de algumas gotas de óleo essencial. Os benefícios prometidos pela Aromaterapia são impressionantes.

Mas será que a Aromaterapia realmente é capaz de uma mudança tão profunda na nossa saúde?

Convido você para fazer uma viagem pelo universo da aromaterapia! Vamos entender como ela funciona e como pode ajudar a você e sua família a alcançarem mais saúde e qualidade de vida.  

Além disso, depois de ler este artigo, você nunca mais vai passar vergonha chamando óleos essenciais de essências.

Continue lendo para saber mais sobre:

  • A definição definitiva de Aromaterapia e como usar óleos essenciais para pele, emoções, mente e espírito.
  • Dos Faraós às universidades de ponta: Como a aromaterapia surgiu e como se transformou no tempo.
  • Onde comprar óleos essenciais de qualidade e como saber se tem qualidade certificada

A DEFINIÇÃO DEFINITIVA DE AROMATERAPIA E COMO USAR ÓLEOS ESSENCIAIS PARA PELE, EMOÇÕES, MENTE E ESPÍRITO.

Antes de usufruir dos benefícios de um óleo essencial, é importante entendermos o que é a aromaterapia e o que são os óleos essenciais.

A entidade de padronização internacional (ISO), no seu Vocabulário de Materiais Naturais (ISO 9235:2013), define um óleo essencial como um produto obtido através da hidrodestilação oudestilação a vapor ou processamento mecânico de cascas de cítricos ou destilação a seco de materiais naturais. Após a destilação, o óleo essencial é fisicamente separado da fase aquosa.

A Aromaterapia é uma terapia holística altamente embasada cientificamente. Trata-se da utilização dos óleos essenciais para curar diversas enfermidades e promover a saúde integral.

E quando falamos embasada cientificamente, nós estamos falando sério! Encontramos mais de 18.000 artigos com o termo essential oil na PubMed, a maior plataforma de artigos científicos sobre saúde do mundo!

São dezenas de milhares pesquisas publicadas sobre o tema!

Os óleos essenciais são compostos que se dissolvem em gorduras (lipossolúveis) mas que, apesar do nome, não são gordurosos ou oleosos.

essential-oils-1433694_960_720.jpg

OS ÓLEOS ESSENCIAIS NAS PLANTAS

Os óleos essenciais são encontrados em estruturas especializadas das plantas. Ao serem liberados, atuam como:

  • Reguladores e catalisadores de metabolismo
  • Meios de Comunicação entre plantas
  • Protegendo a planta de parasitas, insetos herbívoros e outras ameaças.
  • Atraindo polinizadores
  • Protegendo de mudanças climáticas, ajudando a planta a sobreviver sob diferentes condições.

Estudos demonstraram que quando a folha da Laranja começa a ser comida por herbívoros a planta aumenta a produção de substâncias aromáticas impalatáveis para que a folha fique com gosto ruim para o predador.

Os óleos essenciais também podem atuar inibindo o crescimento de outras plantas. Esse é o caso do Eucalipto, que libera seu óleo essencial para não permitir que plantas nasçam perto dele.  

O Olíbano e a Mirra, por exemplo, vivem em ambientes desérticos e produzem óleos essenciais. Quando são liberados, protegem a planta de serem atingidas diretamente pelos raios solares.

A Rosa produz seu aromas nas flores para atrair polinizadores à grandes distâncias. Assim cada planta aromática produz seu óleo essencial particular em resposta ao meio ambiente.

Dessa maneira as plantas desenvolvem seus óleos essenciais ao longo dos milênios. É uma resposta às necessidades do meio ambiente em que elas vivem.

Imagine todos os compostos que ainda não conhecemos que ainda podem ser extraídos?

Os óleos essenciais podem ser encontrados em diversas partes da planta como:

  • Folhas (ex: eucalipto, tea tree, hortelã, manjericão);
  • Tronco (ex: sândalo, madeira do sião, pau rosa, canela);
  • Fruta (ex: tangerina, laranja, limão)
  • Semente (ex: cardamomo, junípero)
  • Raiz (ex: vetiver)
  • Rizoma (ex: gengibre, lírio do brejo)
  • Resina do tronco (ex: copaíba, olíbano, mirra, breu)
  • Flor (ex: rosa, gerânio, jasmin, camomila, ylang ylang, lavanda)

 

TUDO O QUE SABEMOS: APENAS A PONTA DO ICEBERG

Apesar de todos os estudos, ainda não conhecemos nem 1% de todos os óleos essenciais. Conhecemos menos ainda suas possíveis propriedades terapêuticas. É um mundo aromático e inexplorado.

Das 250.000 a 300.000 espécies de plantas catalogadas, cerca de 10% produzem óleos essenciais.

Destas, o óleo essencial de aproximadamente 3.000 foram extraídos até hoje. Além disso, apenas de 200 a 300 estão disponíveis no mercado mundial de perfumaria, cosméticos e Aromaterapia.

Muitas doenças ainda podem ser curadas pela aromaterapia. Propriedades novas ainda podem ser descobertas com mais estudos na área.

É um mundo aberto de possibilidades inexploradas.

A Aromaterapia é essencialmente uma prática multidisciplinar. Vai da botânica à farmacologia, da psicologia à medicina. E sabe o que é mais legal? Qualquer pessoa pode aprender a utilizar a Aromaterapia para restaurar o equilíbrio e promover o bem-estar!

ENTÃO, COMO POSSO UTILIZAR A AROMATERAPIA?

Apesar de muitos acreditarem que só podemos utilizar a aromaterapia através da inalação, como o nome sugere, existem várias maneiras de se utilizar os óleos essenciais e aproveitar seus benefícios. A forma de utilização varia de acordo com o objetivo terapêutico, o óleo essencial utilizado e as especificidades de quem está sendo tratado. As principais formas de utilizar a aromaterapia são:

1. USO TÓPICO 

A aplicação tópica é o processo de colocar o óleo essencial em contato com a pele, cabelo, boca, dentes, genitálias, ouvido e unhas. 

Dependendo do que está sendo tratado, você pode utilizar o óleo essencial puro no local. Atente sempre para não utilizar os óleos essenciais que podem gerar danos para a pele (dermocáusticos) dessa forma. Os principais óleos essenciais dermocáusticos são o Orégano, o Tomilho e a Canela.

Os óleos essenciais são extremamente concentrados e poderosos. Por isso, o uso contínuo não diluído de óleos essenciais pode provocar sensibilização na pele. É extremamente recomendado diluí-los em bases carreadoras. Os óleos vegetais de coco, amêndoas doces, avelã, jojoba e rosa mosqueta são bons exemplos de carreadores.

Outro fator que devemos levar em consideração ao utilizar um óleo essencial de forma tópica é que alguns deles podem gerar queimaduras e manchas se a pele for exposta ao sol após a aplicação (fototoxicidade). Os óleos essenciais fototóxicos mais comuns são: Laranja, Limão, Tangerina, Bergamota e Arruda. Porém, algumas empresas produzem estes óleos essenciais livres de furanocumarinas (LFC). Dessa forma, estes óleos passam a não oferecer danos à pele, mesmo com exposição solar.

Existem diferentes formas de utilizar um óleo essencial na pele. As principais são:

1.1. APLICAÇÃO DIRETA

Aplicação direta é a utilização de óleos essenciais diretamente no local afetado. Como os óleos essenciais são muito potentes, maior concentração não significa maior eficácia.

Para atingir o objetivo terapêutico desejado, a aplicação de 1 a 5 gotas é suficiente. Siga as diretrizes a seguir para usar com segurança:

  • Os pés são a segunda área do corpo a absorver óleos essenciais mais rapidamente. Você pode utilizar de conhecimentos da reflexologia e massoterapia.
  • Outras áreas com boa absorção são atrás das orelhas e nos pulsos.
  • Para produzir efeitos de paz, relaxamento, ajudar a dormir, aliviar o estresse ou para energização, de 3-6 gotas em cada um dos pés.
  • Quando aplicar óleos essenciais em bebês e crianças, dilua de 1 a 3 gotas de óleo essencial em óleo carreador (uma colher de chá).
  • Para uso em picadas de mosquitos, acnes, furúnculos e abscessos, utilizar de 1-3 gotas do óleo essencial puro no local.

1.2. MASSAGEM

A massagem é uma estimulação muito eficaz da pele, músculos e tecidos conjuntivos. É uma técnica que promove o relaxamento, a energização e o equilíbrio da saúde.

Para obter os benefícios da Aromaterapia na massagem você precisa diluir os óleos essenciais em algum óleo vegetal de boa qualidade. Pode ser o óleo de coco, óleo de linhaça, óleo de abacate, ou vários outros.

A diluição recomendada é de 1 a 5%, mas pode chegar a 10% em casos graves de inflamações articulares e fibromialgia.

Lembre-se: 1mL de óleo essencial corresponde a 22 gotas (geralmente).

Se você quer fazer 100mL de óleo para massagem com 3% de concentração de óleos essenciais. Quantas gotas você precisa colocar?

Veja, se 100mL é o total, ele representa 100% da formulação.

Se você adicionar 3mL de óleos essenciais, isso vai representar 3% da formulação.

3mL de óleo essencial corresponde a 22 gotas x 3 = 66 gotas.

Ou seja, para fazer aproximadamente 100mL de óleo de massagem a 3% de concentração você vai precisar adicionar 66 gotas de óleos essenciais.

É só lembrar da regra: 1mL de óleo essencial corresponde a 22 gotas (geralmente).

massage-1929064_960_720.jpg

1.3. COSMÉTICOS INTELIGENTES

Óleos essenciais são extremamente eficazes para um amplo espectro de desequilíbrios da pele. Um único óleo essencial possui em média 300 substâncias diferentes e pode tratar diversas desordens físicas e emocionais ao mesmo tempo. É por este motivo que cosméticos contendo óleos essenciais são inteligentes. Eles podem tratar os sintomas de uma desordem ao mesmo tempo que atuam em sua raiz.

Como os óleos essenciais não são oleosos, podem ser utilizados em todos os tipos de pele, seja ela seca, oleosa, mista, sensível, acneica ou mesmo afligida por doenças de pele.

Para serem utilizados em cosméticos, os óleos essenciais devem ser diluídos previamente em óleo vegetal extra-virgem, argilas, hidrolatos, cremes ou géis (sem óleo mineral!).

A diluição recomendada é de 1 a 3% para cosméticos faciais como rejuvenescedores para rugas e marcas de expressão. Alguns dos melhores óleos vegetais para este benefício são a Jojoba e a Rosa Mosqueta.

Os cosméticos inteligentes também são eficazes para desequilíbrios da pele como: acne, estrias, celulite, rugas, marcas de expressão, verrugas, dermatite, psoríase, rosácea, manchas escuras de pele e muitos outros!

Para dominar a arte de fazer cosméticos inteligentes, clique aqui e conheça mais de nosso curso online Pele de Pétalas. Aproveite para baixar o E-book gratuito!

1.4. COMPRESSAS

Outra forma de utilizar os óleos essenciais é através de compressas. Encha uma bacia com 1L de água quente ou fria, e coloque de 3-6 gotas de óleo essencial da sua preferência. Misture vigorosamente e depois embeba uma toalha na água aplicando no local de sua escolha.

No caso da compressa com água fria, o procedimento é simples. Você pode cobrir a toalha embebida com óleo essencial com uma outra toalha e deixar os óleos essenciais agirem por no mínimo 60 minutos.

1.5 BANHOS

Os banhos com óleos essenciais são incrivelmente simples, benéficos e prazerosos! No caso de banheiras você pode adicionar 3-6 gotas enquanto está sendo enchida de água. Uma vez que o óleo essencial não se dissolve completamente na água a pele vai absorvê-los rapidamente.

Outra opção é utilizar os sais de banho com óleos essenciais. Simplesmente misture 3-10 gotas de óleo essencial com ½ copo de sal comum ou sal de epson. Dissolva o sal de banho na água da banheira antes de entrar.

beauty-1308688_960_720.jpg

Se você não tiver banheira em casa pode adicionar de 3-6 gotas do óleo essencial em uma bacia de água e despejar no corpo durante o banho. Como os poros da sua pele estarão abertas devido a água quente do chuveiro, os óleos essenciais serão rapidamente absorvidos.

Você pode ainda utilizar os óleos essenciais no sabonete líquido ou gel de banho, desde que não contenham óleo mineral. Quando estiver tomando banho, coloque um pouco desta mistura em uma bucha vegetal e experimente a esfoliação com óleos essenciais.

No caso de sprays corporais, você pode colocar 10-15 gotas de óleo essencial ou sinergia da sua escolha em um recipiente com 100mL de água destilada. Misture bem e borrife sobre o corpo depois do banho.

2. INALAÇÃO

A inalação é o processo de absorção dos óleos essenciais através da difusão atmosférica. É muito poderosa por afetar a memória, os hormônios e as emoções através do sistema olfativo, assim como em tratar desordens como sinusite, rinite, laringite, bronquite e pneumonia.

2.1 DIFUSÃO

A maneira mais simples e efetiva de difundir um óleo essencial no ambiente é com a ajuda de um difusor de aromas.

Difusores a vapor a frio são utilizados para dispersar os óleos essenciais no ambiente. Dessa forma, as moléculas de óleos essenciais permanecem intactas durante horas no ambiente.

Difusores são capazes de purificar e melhorar a qualidade do ar dos ambientes. Podem Acabar com bactérias, vírus, fungos e ácaros através de propriedades antissépticas de certos óleos essenciais.

Existem dezenas de modelos de difusores de ambiente. Você pode escolher o que se adapta melhor para o seu caso.

Difusores a calor precisam ter a temperatura controlada até no máximo 50-60ºC. Se a temperatura subir pode alterar a composição química dos óleos essenciais e diminuir suas qualidades terapêuticas.

É preciso tomar cuidado ainda com o excesso de estimulação olfativa. Especialistas afirmam que é recomendado criar intervalos sem cheiros para que o olfato se renove antes de receber mais óleos essenciais.

2.2 INALAÇÃO DIRETA

A inalação direta é a maneira mais simples de usar óleos essenciais para afetar o humor e as emoções. Simplesmente segure um frasco de óleo essencial próximo ao nariz ou pingue de 1-3 gotas nas palmas das mãos e as aproxime a 15 cm do nariz.

2.3 ALGODÃO OU TECIDO

Simplesmente coloque de 1-3 gotas do óleo essencial em um papel toalha, tecido, bola de algodão, lenço de pescoço, toalha ou fronha e segure perto do seu rosto e inale.

2.4 VAPOR QUENTE

Essa técnica consiste em colocar de 3-5 gotas de óleo essencial em uma panela com água quente e posicionar o rosto em cima. Pela temperatura da água o óleo essencial vai evaporar rapidamente e penetrar pelo seu sistema olfativo.

2.5 VENTILADOR

Coloque de 1-10 gotas em um pedaço de algodão e prenda-o próximo ao ventilador. Esta técnica é ideal para lugares pequenos.

2.6 PERFUME OU COLÔNIA

Utilizar os óleos essenciais como perfumes pode fornecer um excelente suporte emocional e físico, além de um aroma delicioso. Aplique 1-3 gotas de óleo essencial no pescoço e nos pulsos. Você também pode criar uma colônia pessoal. Dissolva 10-15 gotas em 5mL de álcool de cereais, e combine essa mistura com 10mL de água destilada. Aplique no pescoço e pulso.

hyacinth-747157_960_720.jpg

 3. USO INTERNO

O uso interno é o processo de ingerir ou internalizar um óleo essencial no corpo. Nem todo óleo essencial pode ser utilizado dessa forma. Somente óleos essenciais 100% puros, naturais e completos podem ser usados para uso interno. Algumas empresas ainda comercializam óleos adulterados ou falsificados. Na seção sobre onde comprar óleos essenciais de qualidade e como saber se tem qualidade certificada, você vai aprender o que precisa saber para se certificar de que está utilizando um óleo essencial 100% puro.

3.1 SUBLINGUAL

Uma das formas mais efetivas de ingerir óleos essenciais é a via sublingual. coloque de 1-3 gotas de óleo essencial debaixo da língua. As mucosas situadas nessa região são altamente vascularizadas por capilares sanguíneos e não passam pelo metabolismo do fígado. Isso faz com que os óleos essenciais entrem na corrente sanguínea com muita eficácia.

Esta forma de uso promove um efeito terapêutico ainda maior do que a ingestão direta do óleo essencial. É por isso que doses menores devem ser usadas para evitar irritação do tecido.

3.2 MÉTODO DA COLHER

A forma mais fácil de ingerir óleos essenciais é pingando de 1-3 gotas em uma colher de água, mel ou óleo vegetal. Sempre ingerir depois das refeições. Cuidado com os óleos essenciais dermocáusticos como o Orégano, o Tomilho e a Canela.

drip-351619_960_720.jpg

3.3 CÁPSULAS

Uma forma comum de ingerir óleos essenciais internamente é através de capsulas. Basta colocar 1-10 gotas de óleo essencial em uma cápsula vazia, fechar e tomar com um pouco de água ou suco. Você também pode completar o restante da cápsula com algum óleo vegetal extra-virgem.

3.4 BEBIDAS

Você pode adicionar 1-4 gotas de óleo essencial em bebidas. Pode aromatizar seus sucos, leites ou água antes de beber. Lembre-se de agitar bem antes de ingerir. Muitas vezes, o resultado é delicioso.

Para você poder experimentar agora, temos algumas dicas! Que tal adicionar 1 gota de óleo essencial de Hortelã em 1 litro de suco de abacaxi? Também experimente adicionar 1 gota de óleo essencial de Cravo para 2 litros de suco de manga. Fica delicioso!

3.5 CULINÁRIA

Adicione 3-5 gotas de óleo essencial em 100mL de Azeite de oliva extra-virgem e adicione nos pratos. Sugestão: os óleos essenciais de limão, manjericão e orégano ficam excelentes juntos. Você também pode aromatizar seu molho pesto com uma gota de óleo essencial de gengibre para cada 500g de molho. O resultado é surpreendente!

3.6 INSERÇÃO VAGINAL

Alguns óleos essenciais são muito eficazes para o tratamento de candidíase, infecções urinárias, miomas e cistos. Para aumentar mais sua eficácia, é desejável que sejam aplicados no local.

Existem três (3) maneiras principais de inserir óleos essenciais na vagina. Primeiro, dilua 3-5 gotas de óleos essenciais em 10-15mL de óleo vegetal extra-virgem. Insira com a ajuda de uma seringa e depois segure a mistura com a ajuda de um tampão.

A segunda maneira é embeber um absorvente interno com a mistura dos óleos essenciais em 10mL de óleo vegetal extra-virgem. Insira e retenha por algumas horas, ou mesmo durante toda a noite.

A terceira maneira é adicionar algumas gotas de óleo essencial em água morna e inserir com a ajuda de uma seringa vaginal. Certifique que os óleos essenciais escolhidos não irritam as mucosas.  

3.7 SUPOSITÓRIOS

O uso de supositórios na Aromaterapia é bastante difundido na França. A absorção retal é um método importante que deve ser utilizada para produzir efeitos sistêmicos.

Geralmente esse método é recomendado para problemas respiratórios e outras doenças internas. Duas maneiras são recomendadas para inserir os óleos essenciais no reto.

Uma seringa retal pode ser utilizada para inserção do óleo essencial diluido em algum óleo vegetal de qualidade. Os óleos essenciais também podem ser colocados em cápsulas para serem inseridas no reto. Os óleos são retidos durante várias horas ou toda a noite.

DOS FARAÓS ÀS UNIVERSIDADES DE PONTA: COMO A AROMATERAPIA SURGIU E COMO SE TRANSFORMOU NO TEMPO.

Houve um tempo, antigamente, em que não havia distinção entre médico, biólogo, astrônomo e psicólogo. Essas pessoas, chamadas de sábios e polímatas. Eles agregavam conhecimento em várias áreas. Assim, proporcionavam um estado de saúde mais equilibrado a si próprios e as pessoas da sua comunidade.

Hoje em dia, no entanto, com a superespecialização, isso se tornou muito raro. Vemos poucos profissionais da saúde integrando diversas áreas do saber para ajudar as pessoas.

OS ÓLEOS ESSENCIAIS NA ANTIGUIDADE

Os seres humanos utilizam plantas aromáticas com diversas finalidades por milênios. Arqueólogos demonstraram que até mesmo os Neandertais já utilizaram plantas aromáticas há mais de 200.000 anos.

É muito difícil dizer com precisão os usos mais antigos pelos seres humanos, mas alguns registros do Antigo Egito datam de mais de 3.500 anos antes de Cristo!

Nesta época não se sabia como extrair os óleos essenciais puros. Assim, as plantas aromáticas eram maceradas em óleos vegetais, filtradas, utilizadas e comercializadas com o nome de unguento.

Os unguentos eram largamente apreciados na Babilônia e no Egito. Eram utilizados para aplicações medicinais e estéticas. Eram utilizados em cosméticos para pele e cabelo das pessoas mais poderosas.

O USO SAGRADO DOS ÓLEOS ESSENCIAIS

Egito-Aromaterapia.jpg

Na base da Esfinge de Gizé, os óleos essenciais ocupam espaço de destaque. Há uma placa de granito mostrando o rei Tutmosis oferecendo incenso e óleos aromáticos a um deus com corpo de leão.

Heliópolis, a cidade onde se venerava o deus Rá, também valorizava muito o uso de compostos aromáticos. Lá, resina de Olíbano era queimada pela manhã e resina de Mirra era queimado pela noite em oferenda aos deuses.

Um fato muito interessante é que o próprio faraó Tutankhamon foi embalsamado com um cosmético contendo o óleo de Cedro do Atlas (Cedrus atlantica), extraído na época de forma rudimentar.

Os cientistas atualmente acreditam que isso pode explicar o excelente estado de conservação da múmia do faraó. O Cedro do Atlas possui propriedades antioxidantes e rejuvenescedoras.

Quando a tumba do Faraó Tutankhamon foi aberta em 1922 descobriu-se um grande número de vasos de alabastro que continham óleos aromáticos. Análises científicas posteriores detectaram a presença de olíbano e nardo indiano, entre várias outras plantas.

O COMÉRCIO DE ÓLEOS ESSENCIAIS NA ANTIGUIDADE

Nesta época já existia um comércio muito intenso de plantas aromáticas. As rotas principais eram no Egito, Oriente Médio, Pérsia, Babilônia, Índia e China.

A Rota do Incenso é um sítio arqueológico reconhecido pela UNESCO em Omã. O tráfego de pessoas era tão grandes que essa trilha consegue ser visualizada po

Estas plantas eram tão valorizadas que o Olíbano e a Mirra tinham seu preço equivalente ao Ouro, e de fato, esses foram os presentes dados para o menino Jesus pelos Três Reis Magos. A palavra incenso na Bíblia deriva do inglês Frankincense, que significa Olíbano.

Uma tábua de argila babilônica datada de 1.800 a.C. descreve um pedido comercial de óleo importado de Cedro, Mirra e Cipreste.

OS PRIMEIROS PERFUMES DA HISTÓRIA

Gr%C3%A9cia-Aromaterapia.jpg

Desde o antigo egito, os perfumes inebriam e conquistam as pessoas de todos os lugares. Cleópatra, a última rainha da dinastia ptolomaica do Egito antes da invasão da Grécia, era completamente apaixonada por aromas. Ela utilizou deles para poder conquistar os imperadores Marco Antônio de Tarso e Júlio César.

Os gregos também apreciavam muito as plantas aromáticas. Um dos mais famosos perfumes gregos era chamado de Megaleion em homenagem a seu criador Megallus. Era uma mistura que continha, entre outros ingredientes Mirra e Canela.

Diversas receitas de perfumes foram dedicadas deuses. Asclépio, deus grego da medicina e da cura, tinha uma formulação de perfume dedicada a ele. É claro que Afrodite, deusa do amor, da beleza e da sexualidade, também tinha um aroma especial em sua homenagem.

Os romanos também eram grandes apreciadores dos aromas. Seus perfumes eram acondicionados em garrafas de alabastro, vidro ou ônix. Existiam muitos perfumistas romanos que ocupavam ruas inteiras das maiores cidades. Dentre as plantas mais utilizadas estavam a canela, mirra, açafrão, sálvia, alecrim, cardamomo, melissa, nardo e outros.

As casas de banho que eram altamente apreciadas no império romano. Suas águas eram esquentadas por lareiras no subsolo. Dessa forma, plantas aromáticas quando infusas na água liberavam seu cheiro. Isso proporcionava relaxamento, bem-estar e em certo grau limpeza da água, devido a suas propriedades antissépticas.

AS PRIMEIRAS EXTRAÇÕES DE ÓLEOS ESSENCIAIS PUROS

Foi no século X, perto do ano 1.000 d.C., que a prática da utilização das plantas aromáticas deu um salto. Esse passo foi graças a contribuição dos árabes. Um estudioso extraordinário de nome Avicena escreveu mais de cem livros sobre vários assuntos. alguns desses livros foram utilizados pela medicina européia até há pouco tempo. Avicena recebeu os créditos pela invenção ou redescobrimento da destilação de plantas aromáticas. Isso possibilitou a obtenção de óleos essenciais puros como conhecemos hoje.

Avicena é conhecido por ter sido o primeiro ser humano da história a realizar a destilação do óleo de Rosas, de perfume incomparável. O subproduto dos óleos essenciais, conhecido como água aromática ou hidrolatos, também passou a ser extensamente utilizado.

A água de rosas foi uma das fragrâncias mais populares. Especula-se que tenha sido produzida em grandes quantidades pois foi largamente exportada para a Europa durante a época das Cruzadas. Com a importação desses produtos a Europa começou a ter seus próprios perfumistas que eram contratados pelas damas da nobreza.

Como você percebeu, praticamente a maioria, se não todas as culturas antigas apreciavam e valorizavam muito as plantas aromáticas. Agora é a sua vez de se aprofundar nos benefícios da aromaterapia!

A AROMATERAPIA NA MODERNIDADE

Até aproximadamente 1920, óleos essenciais continuaram sendo utilizados como se fazia na Idade Média para perfumes, loções e em banhos. Foi então que um inspirado químico de nome René Maurice Gattefossé entrou em cena.

Trabalhando no laboratório da empresa familiar, este jovem sonhador sofreu um grave acidente. Gattefossé queimou boa parte dos seus dois braços fazendo com que ele procurasse um médico imediatamente. O médico aplicou antibióticos e enfaixou o local, mas a ferida começou a gangrenar. Em poucos dias e o risco de amputação ficou cada vez maior e mais iminente.

Desesperado sem ter o que fazer, Gattefossé teve uma ideia que mudou a história. Começou a passar óleo essencial de Lavanda Francesa (Lavandula angustifolia) nos ferimentos. Em poucas horas, ele percebeu uma melhora expressiva! Assim, continuou utilizando a Lavanda até o dia da amputação. Quando retornou ao médico este lhe disse que não precisava mais amputar pois o ferimento estava cicatrizando!

Lavanda-Aromaterapia.jpg

Gattefossé ficou fascinado com o poder cicatrizante da Lavanda. A partir desse dia, estudou mais profundamente a utilização terapêutica dos óleos essenciais. Em suas pesquisas ele descobriu que os óleos essenciais são mais eficazes que seus princípios ativos isolados. Esse fato já havia sido demonstrado em 1904 por Cuthbert Hall. Hall pesquisava a atividade antisséptica do óleo essencial de eucalipto. Resultado: ele viu que era muito maior do que o eucaliptol (1,8 cineol), seu princípio ativo, isoladamente.

Gattefossé começou a publicar reportagens no jornal da sua empresa sobre o emprego de óleos essenciais de forma terapêutica. Posteriormente ele reuniu esses textos em um único livro que foi chamado de Aromathérapie. Essa foi a primeira vez que alguém utilizou esta terminologia.

Outra figura importante e que estudou o trabalho do Gattefossé foi o médico francês Jean Valnet. Ele serviu na Frente Armada Francesa e fez uso dos óleos essenciais na tentativa de salvar algumas vidas. O resultado foi tão impressionante que ao voltar para França dedicou boa parte da sua vida a aromaterapia. Depois disso, Valnet escreveu um livro sobre as possibilidades terapêuticas dos óleos essenciais.

A AROMATERAPIA HOJE EM DIA

Atualmente vemos um crescente interesse pelos óleos essenciais. Isso se reflete em uma quantidade cada vez maior de cosméticos e produtos sendo produzidos com estes princípios ativos.

Pesquisas realizadas em algumas das melhores universidades do mundo confirmam dia após dia a imensa riqueza terapêutica dos óleos essenciais. Essas pesquisas tornam a ciência da Aromaterapia cada vez mais comprovada.

O que permite que os óleos essenciais tenham tantos benefícios terapêuticos é a sua incrível complexidade química. Esta só começou a ser desvendada nas últimas décadas após o desenvolvimento de aparelhos tecnológicos.

E assim, depois de milhares de anos a Aromaterapia e os óleos essenciais recebem novamente lugar de destaque no cenário mundial! Esse destaque se reflete nas prateleiras das pessoas que tratam sua saúde e de seus familiares de forma 100% natural.

ONDE COMPRAR ÓLEOS ESSENCIAIS DE QUALIDADE E COMO SABER SE TEM QUALIDADE CERTIFICADA

Um problema muito comum na prática da aromaterapia é comprar óleos essenciais de qualidade. Existente uma grande confusão entre o que é uma essência sintética e o que é um óleo essencial 100% puro.

Muitos vendedores, por desconhecimento ou por má-fé, comercializam os produtos sintéticos (essências) dizendo que são naturais. Isto se torna um problema quando o paciente/cliente vai utilizar o produto com fins terapêuticos. O óleo essencial puro tem um efeito terapêutico muito maior que os seus princípios ativos isolados.

Além disso, muitas essências sintéticas não possuem em sua composição substâncias semelhantes às dos óleos essenciais naturais. Assim, são desprovidas de propriedades terapêuticas. Por isso faz-se necessário conhecer as empresas confiáveis e comprar óleos essenciais apenas naquelas que comercializam os óleos essenciais puros.

Este problema não é só em relação às essências sintéticas, mas também acontece em relação aos óleos essenciais naturais. Algumas vezes, lotes inteiros são adulterados. O óleo essencial de rosa é frequentemente adulterado, por ter um valor mais alto que a maioria dos óleos. A forma mais comum é a adição de óleo essencial de palmarosa e gerânio. Eles possuem um cheiro muito similar, mas são muito mais baratos. Assim, você pode comprar o óleo essencial de rosas que é puro somente no rótulo. Na realidade, ele pode ter sido adulterado com outros óleos que tem um valor agregado menor.

COMO SE CERTIFICAR DA QUALIDADE DE UM ÓLEO ESSENCIAL

Óleos essenciais frequentemente possuem de 50 a 450 substâncias químicas. São uma verdadeira obra prima sincronicamente orquestrada. Em contraste, essências sintéticas possuem de 1 a 3 substâncias. Portanto, observe alguns aspectos para auxiliar na identificação de produtos puros e naturais:

1- Um óleo essencial jamais será vendido em vidro transparente.

2- Óleos essenciais não possuem cores extravagantes como roxo, lilás e vermelho escuro (com algumas poucas exceções).

3- Óleos essenciais naturais não se dissolvem facilmente na água.

4- Produtos com cheiro de álcool ou óleo de cozinha estão adulterados.

5- Óleos essenciais naturais jamais irão custar o mesmo preço entre si.

6 – Óleos naturais duram mais tempo na pele quando empregados como perfumes do que os sintéticos.

7 – Sempre que for comprar o óleo questionar se a empresa faz análises químicas de qualidade do óleo, chamadas de análises de cromatografia.

Portanto, um óleo essencial, para ser utilizado em Aromaterapia sempre será 100% natural, 100% puro e 100% completo.

Comente essa publicação